Pages

Buscapé

link de busca


             Precisamos resgatar o verdadeiro sentido do Natal.
Muitos restringem o Natal apenas a festa  de confraternização,com as mesas fartas e trocas  de presentes.
Outros,veem o Natal apenas como comércio.
O resultado disso é que o consumismo substituiu Jesus  por Papai Noel, trocou a manjedoura por lojas
decoradas e o campo dos pastores por ruas ricamente iluminadas. Porém é o céu descendo à terra, Deus
se fazendo homem e o Rei dos Reis servo.
O Natal é a maior notícia do mundo, a boa nova de que Jesus, o Salvador do mundo, veio como Pão
para a nossa fome, Água da vida para  a nossa sede e Luz para as nossas trevas.
Natal é uma expressão plena de sua graça salvadora.
       Antes da queda do homem, Deus estabeleceu a vida familiar. Ele poderia ter feito um monte de homem e mulheres com intuito de procriarem mais rapidamente, mas preferiu constituir uma família. Antes que houvesse qualquer outra instituição humana, Deus criou a família, que tem sua gênese no coração do Pai  celeste. Não há ninguém mais comprometido com a felicidade de seu lar do que o Senhor.
     Quando Abraão foi chamado, Deus lhe fez a seguinte promessa: "em serão benditas todas as famílias da terra". Decorre desse princípio a certeza  de que o  Senhor não trabalha simplesmente com pessoas, mas com lares. O apóstolo Paulo reforça essa verdade ensinando que  "o marido incrédulo é santificado no convívio da esposa, e a esposa incrédula é santificada no convívio do marido crente". Ou seja, Deus tem um propósito para sua casa.
      Você  terá  a oportunidade de dar novos rumos para sua casa através das mensagens inspiradoras que passarei  a lhes informar através de meu blog. Portanto,ainda que existam conflitos aparentemente irremediáveis dentro de seu lar, convido você a acreditar em sua restauração.
                 Não pare de lutar pelo seu casamento.
                 Valorize seus filhos.
                 Ame seus pais.
                 Não desista de sua família.
                 Interceda por ela junto a Deus, pois sei que terás uma respostas satisfatória.
                 Meus votos,que sejam felizes e que Deus os abençoe.
 


1- Comece seu dia entregando tudo a Deus. Sl 37:5
“Entrega o teu caminho ao Senhor, confia nele, e o mais ele fará”.

2- Leia uma porção da Bíblia todos os dias. Sl 119:105
“Lâmpada para os meus pés é a tua palavra e luz, para os meus caminhos”.

3- “Carpem Diem”: Aproveite o seu dia. Ec 9:10
“Tudo quanto te vier à mão para fazer, faze-o conforme as tuas forças, porque no além, para onde tu vais, não há obra, nem projectos, nem conhecimento, nem sabedoria”.

4- “Quero trazer à memória o que me pode dar esperança:” Lm 3:21

5-Tire do seu vocabulário: “não posso”, “não vou conseguir”, “é impossível”. Lc 1:37
“Pois para Deus nada é impossível”.

6-Viva o presente: Quem vive do passado é museu. 2 Cor 5:17
“Portanto, se alguém está em Cristo, nova criatura é; as coisas velhas já passaram; tudo se fez novo”.

7-Não tome decisão na hora da ira. Prov 14:17
“O que facilmente se ira faz doidices, e o homem de maus desígnios é odiado”.

8-Não faça amizades com certos tipos de pessoas. Prov 22:24
“Não faça amizade com o iracundo, nem Andes com o homem colérico”.

9-Mantenha amigos por toda a vida. Prov. 18:24
“O homem que tem muitos amigos pode vir à ruína, mas há um amigo mais chegado do que um irmão”.

10-Ouça mais, fale menos. Prov 17:28
“Até o tolo, quando se cala, é tido por sábio, e o que cerra os lábios, por entendido”.

11- Só é feliz quem se contenta com aquilo que tem. Fil 4:11
“Não digo isto por causa de necessidade, pois já aprendi a contentar-me em toda e qualquer situação”.

12-Não se isole: ninguém é uma ilha. Ec 4:9,10,11.
“Melhor é serem dois do que um. Se um cair, o outro levanta o seu companheiro. Mas ai do que estiver só, pois, caindo, não haverá quem o levante”.

13-Não seja materialista. Ec 5:15
“Como saiu do ventre da sua mãe, assim nu voltará, indo-se como veio. Nada tomará do seu trabalho que possa levar na sua mão”.

14-Dê com generosidade, sem esperar nada em troca. MT 5:42
“Dá a quem te pedir, e não te desvies daquele que quiser que lhe emprestes”:

15-Não ande ansioso pelo amanhã. Mt 6:34
“Portanto, não andeis ansiosos pelo dia amanhã, pois o amanhã se preocupará consigo mesmo. Basta a cada dia o seu próprio mal”.

16-Valorize e ame a sua família. 1Tm 5.8
“Mas, se alguém não cuida dos seus, e principalmente dos da sua família, negou a fé, e é pior que o incrédulo”.

17-Seja ousado no Senhor. 2Tim 1:7
“Porque Deus não deu o espírito de timidez, mas de poder, de amor e de moderação”.

18-Evite contenda. 2 Tim 2:24.
“E ao servo do Senhor não convém contender, mas sim ser brando para com todos, apto para ensinar, paciente”;

19-Dê graças em todas as circunstâncias. 1Tess 5:18
“Em tudo dai graças, pois está é a vontade de Deus em Cristo Jesus para convosco”.

20-Ame profundamente e com paixão. 1João 4:7
“Amados, amemo-nos uns aos outros, pois amor é de Deus. Quem ama é nascido de Deus e conhece a Deus”.



Autor: António Magnani

Quando eu era novo e recém-casado, tive a oportunidade de dar uma aula sobre a instrução de filhos. Eu me senti incapaz por não ter nenhuma experiência como pai. Segui o conselho de uma pessoa mais experiente e sábia – ensine o que a Bíblia diz sobre o assunto. Estudei e procurei fazer exatamente isso.
Agora, sou pai e avô, e vejo a necessidade de ensinar sobre a instrução de filhos. Quando olho para as minhas próprias imperfeições e para os erros que tenho cometido na criação dos meus filhos, ainda me sinto incapaz. Mas, sabendo que o assunto é importante, volto ao mesmo conselho. Vamos examinar algumas coisas que a Bíblia diz sobre a instrução dos filhos. São orientações divinas importantes para todos os pais.
A Importância da Instrução
Tanto no Antigo como no Novo Testamento, Deus frisou a importância da instrução dos pais para os filhos. Na época dos Patriarcas, Deus confiou na determinação de homens fiéis para repassar suas instruções às gerações posteriores. Ele disse sobre Abraão: “Porque eu o escolhi para que ordene a seus filhos e a sua casa depois dele, a fim de que guardem o caminho do Senhor e pratiquem a justiça e o juízo” (Gênesis 18:19). A confiança de Deus em Abraão não foi baseada na experiência deste homem como pai. Deus sabia que Abraão era fiel ao Senhor, e que faria o melhor possível como pai.
Quando Moisés resumiu a vontade de Deus para os israelitas, nas últimas semanas de sua vida, ele disse: “Estas palavras que, hoje, te ordeno estarão no teu coração; tu as inculcarás a teus filhos, e delas falarás assentado em tua casa, e andando pelo caminho, e ao deitar-te, e ao levantar-te” (Deuteronômio 6:6-7).
Asafe, um dos salmistas de Israel, escreveu: “O que ouvimos e aprendemos, o que nos contaram nossos pais, não o encobriremos a seus filhos; contaremos à vindoura geração os louvores do Senhor, e o seu poder, e as maravilhas que fez” (Salmo 78:3-4).
O livro de Provérbios contém muito ensinamento prático dos pais para os filhos. Consideremos alguns versículos que frisam a importância de dar e receber esta orientação: “Ouvi, filhos, a instrução do pai e estai atentos para conheceredes o entendimento” (4:1); “Filho meu, atenta para as minhas palavras; aos meus ensinamentos inclina os ouvidos” (4:20); “Filho meu, guarda o mandamento de teu pai e não deixes a instrução de tua mãe” (6:20); “O filho sábio alegra a seu pai, mas o filho insensato é a tristeza de sua mãe” (10:1); “O filho sábio ouve a instrução do pai, mas o escarnecedeor não atende à repreensão” (13:1); “Ensina a criança no caminho em que deve andar, e, ainda quando for velho, não se desviará dele” (22:6).
O Novo Testamento, também, fala da importância da instrução pelos pais. Paulo comentou sobre a fé que Timóteo aprendeu da sua mãe e avó (2 Timóteo 1:5). O mesmo apóstolo escreveu: “E vós, pais, não provoqueis vossos filhos à ira, mas criai-os na disciplina e na admoestação do Senhor” (Efésios 6:4). O autor de Hebreus comentou sobre a importância da disciplina na instrução dos filhos (Hebreus 12:4-11). A Bíblia toda enfatiza a importância da educação dada pelos pais aos filhos.
Algumas Coisas que os Pais Devem Ensinar aos seus Filhos
Um pequeno estudo como este não é suficiente para falar de tudo que os pais precisam comunicar aos seus filhos. Qualquer pai ou mãe poderia parar aqui e se dedicar ao estudo da própria Bíblia para achar uma orientação muito mais ampla. Aprenda a ser fiel a Deus e procure ensinar os mesmos princípios aos seus filhos.
As sugestões que seguem servem para iniciar ou orientar o seu estudo, mas não são uma lista completa das instruções que os filhos precisam. Vamos considerar algumas coisas que os filhos devem aprender dos seus pais.
● Respeitar autoridade. Aprender a respeitar a autoridade absoluta do Senhor é de suma importância para a salvação eterna dos filhos (Mateus 28:18-20; 2 Tessalonicenses 1:7-9). Mas esta lição começa antes da criança desenvolver a capacidade para compreender a idéia de um Ser espiritual e invisível. Quando a criança aprende a respeitar a autoridade da mãe e do pai terrestre, toma um passo importante na direção da submissão a Deus. Se não respeitar o pai visível, como vai obedecer o Pai celeste? O princípio de respeito deve abranger outras figuras de autoridade – professores na escola, supervisores no serviço, oficiais do governo e guias espirituais (cf. Romanos 13:1-7; 1 Pedro 2:13,18; 3:1; Hebreus 13:17).
● Reconhecer limites e conseqüências. Os pais precisam ensinar o princípio da colheita: “Aquilo que o homem semear, isso também ceifará” (Gálatas 6:7); “O que semeia a injustiça segará males...o generoso será abençoado” (Provérbios 22:8-9). Desobediência precisa ser castigada: “Castiga o teu filho, enquanto há esperança” (Provérbios 19:18; cf. 23:13). “Disciplina rigorosa há para o que deixa a vereda, e o que odeia a repreensão morrerá” (Provérbios 15:10).
● Conhecer o Senhor. Quando trazemos um filho para este mundo, damos vida à uma pessoa com um espírito que vai existir para a eternidade – ou na presença de Deus na glória do céu, ou banido da presença dele no tormento do inferno (João 5:29; Mateus 25:46; 2 Tessalonicenses 1:8-9). Aquele filho cresce, se torna responsável pelos próprios atos e, infelizmente, peca contra Deus (Romanos 3:23). Para alcançar a vida eterna e evitar o castigo eterno, ele precisa conhecer o Senhor. Precisa crer em Jesus Cristo (João 8:24), arrepender-se (Lucas 13:3) e ser batizado para remissão dos seus pecados (Atos 2:38; Marcos 16:16). Os pais devem ensinar seus filhos sobre Deus e sobre a salvação em Jesus.
● Conhecer a Bíblia. Para conhecer o Senhor, é necessário conhecer a palavra que ele nos revelou. Salmo 78 fala da importância do ensinamento baseado na História bíblica. Crianças pequenas gostam de ouvir as histórias de Noé, Abraão, Moisés, Davi, Daniel, etc. São capazes de aprender muitos fatos importantes sobre Deus. Aproximando a adolescência, desenvolverão uma capacidade maior para compreender os ensinamentos (doutrinas) da Bíblia, já com uma base sólida de compreensão histórica. Comece cedo, e continue ajudando seus filhos a crescerem no conhecimento da palavra.
● Distinguir entre o certo e o errado. O primeiro filho a nascer na história do mundo pecou quando não escolheu o bem (Gênesis 4:7). Os nossos filhos terão que decidir entre dois caminhos com destinos opostos (Mateus 7:13-14; Hebreus 5:14). Esta capacidade de distinguir entre o bem e o mal definirá diversas decisões na vida: “O que justifica o perverso e o que condena o justo abomináveis são para o Senhor, tanto um como o outro”(Provérbios 17:15).
● Trabalhar e ser responsável. O homem foi criado para trabalhar, e deve ser responsável em todos os seus compromissos. Deus sempre condenou a preguiça (Provérbios 6:6-11; 19:15,24). Paulo disse: “Se alguém não quer trabalhar, também não coma” (2 Tessalonicenses 3:10). Tratando da responsabilidade financeira em relação à família, ele disse: “Ora, se alguém nãotem cuidado dos seus e especialmente dos da própria casa, tem negado a fé e é pior do que o descrente” (1 Timóteo 5:8).
● Ser responsável pelos próprios atos. Desde o pecado do primeiro casal, as pessoas têm tentado fugir da responsabilidade pelos próprios atos (veja Gênesis 3:11-13). A mulher culpou a serpente que a tentou. O homem culpou a mulher e até tentou jogar uma parte da culpa em Deus por ter criado sua companheira! Muitas pessoas hoje preferem dizer que “aconteceu” para não admitir que “eu fiz”. É mais fácil culpar o governo ou a sociedade do que assumir responsabilidade pelos próprios atos. Ninguém nunca conseguiu justificar o pecado. Deus justifica pecadores arrependidos!
● Cumprir seus deveres na família. Pais fiéis a Deus, fiéis aos cônjuges e fiéis aos filhos ajudam os filhos a aprenderem seus papéis na família (Efésios 5:22-6:4). Pais precisam ser homens de verdade que sustentam e guiam suas famílias. Mães precisam ser submissas aos seus maridos, mostrando amor para eles e para os filhos. Filhos precisam ser obedientes, respeitando e honrando os pais. E os pais devem ensinar aos filhos, ajudando-os a crescer para ser homens e mulheres fiéis a Deus e dedicados às suas famílias.
● Aprender uma perspectiva eterna. Todos nós precisamos aprender a olhar para tudo ao nosso redor de uma perspectiva eterna. Pessoas materialistas se preocupam com as coisas passageiras. Pessoas espirituais olham para as coisas eternas. Nós, e nossos filhos, precisamos aprender que “acabam-se os nossos anos como um breve pensamento.... porque tudo passa rapidamente” (Salmo 90:9,10). Como Moisés, devemos pedir: “Ensina-nos a contar os nossos dias, para que alcancemos coração sábio” (Salmo 90:12). Precisamos ensinar e viver de uma maneira que os nossos filhos possam aprender a acumular seus tesouros no céu, não aqui na terra (Mateus 6:19-21; Lucas 12:15-21). A vida passa como neblina (Tiago 4:13-15). Depois desta vida, vem o julgamento e a eternidade (Hebreus 9:27). Vamos ensinar a palavra de Deus para ajudar os nossos filhos olharem para a eternidade e se prepararem para a vida eterna na presença de Deus!
Ser pais é uma grande bênção e uma responsabilidade enorme que alcança a eternidade. Vamos fazer o melhor possível para guiar os nossos filhos no caminho do Senhor

–por Dennis Allan


01- Nunca fiquem ambos zangados ao mesmo tempo.
02- Nunca lance em rosto um ao outro um erro do passado .
03- Nunca se esqueçam das horas felizes de quando começaram a se amar.
04- Nunca se encontrem sem um termo bem vindo.
05- Nunca usem indiretas, quer estejam sozinhos ou em presença de outros.
06- Jamais grite um com o outro, a não ser que a casa esteja pegando fogo.
07- Procure cada um se esforça ao máximo para estar de acordo com os desejos do outro.
08- Seja a renúncia de si mesmo o alvo e a pratica de cada dia.
09- Nunca deixe o sol se por sobre qualquer zanga ou ressentimento; melhor mesmo e não zangar-se!
10- Jamais dêem ensejo a que um pedido razoável tenha de ser feito duas vezes.
11- Nunca façam um comentário em publico, que possa magoar o outro. Pode parecer engraçado, ás vezes, mas fere.
12- Nunca suspire pelo que poderia ter sido, mas tirem o melhor partido daquilo que é.
13- Não censurem nunca, a não ser que tenham a certeza de quer uma falta foi cometida, e mesmo assim falem sempre com amor.
14- Jamais se separem sem palavras amáveis, nas quais pensem enquanto separados. Breves palavras proferidas na manha preenchem um longo dia.
15- Não deixem que nenhuma falta cometida fique sem ser confessada e perdoada.
16- Não se esqueçam que o lugar mais próximo do céu na terra aquele em que duas almas se tornam rivais no altruísmo.
17- Não fiquem satisfeitos enquanto não tiverem certos de que estão ambos trilhando o caminho estreito e reto, um ajudando o outro.
18- Jamais se esqueçam que o casamento foi estabelecido por Deus que só a sua benção pode torna-lo o que deve ser.
19- Não permitam que esperanças terrenas os distanciem do lar eterno.
20- Jamais deixem de regar o amor com muito carinho e afeto.

Pr. Davi Merkh
"Eu não entendo!" exclamou José, enquanto voltava do Banco 24 Horas.  "Houve algum engano--a máquina diz que estou com saldo negativo!"
            "De novo?" perguntou sua namorada Valéria.  "Quanto seu talão diz que tem?"
            "Não sei exatamente . . . não tive tempo para descontar os últimos cheques e refazer as contas.  Mas tenho certeza que não é negativo.  Acabei de ganhar um bom aumento  . . ..   Para onde foi todo aquele dinheiro?"
            A voz da Valéria revelou seu desânimo.  "Não sei.  Mas parece que um de nós ganha um aumento, fica com menos do que antes.  Nossas contas são sacos furados!"
                                                                     *  *  *  *  *  *  *  *
            São poucos os jovens que não lutam contra a história do saco furado.  Não é suficiente adquirirmos bons hábitos financeiros--também precisamos saber o que evitar se seremos bem-sucedidos em termos econômicos, pelo menos aos olhos de Deus. 
            Todos nós somos vítimas dos ladrões da inflação, desvalorização, e crise financeira que nos assaltam diariamente.  Mas será que estes bandidos são os mais culpados por nosso desequilíbrio financeiro?  Ou será que nossa própria indisciplina tem colocado o maior furo no nosso "saco bancário"?  Enquanto há pouco que podemos fazer para melhorar a situação financeira do país, há muitas possibilidades para consertar nosso próprio saco furado.  Provérbios, revela os maiores furos que desequilibram as nossas finanças.  Se preferir, são 5 passos simples para perder seus bens e achar a verdadeira miséria.
            1.  Vícios.  Quando pensamos em vícios, imaginamos bebida alcoólica, drogas e cigarro, e sem dúvida estes causam muita miséria.  Como jovem, calculei que meus pais gastavam mais de $US 2000 por ano em bebidas alcoólicas, enquanto a família passava necessidade.
            Mas outros vícios "inocentes" são como 'teias de aranha' e prendem as nossas finanças.  Refeições fora, visitas à sorveteria, salgadinhos e refrigerantes, cinema, vídeos e vídeo games, ligações interurbanas, e viagens desnecessárias são pequenas "aranhas" que crescem até que tirem a vida do orçamento.  Provérbios diz "Quem ama os prazeres empobrecerá, quem ama o vinho e o azeite jamais enriquecerá" (21:17). 
            2.  Especulação  O segundo passo em direção à miséria conforme Provérbios é especulação com seu dinheiro.  "O que corre atrás de cousas vãs é falto de senso" (12:11).  "Os planos do diligente tendem à abundância, mas a pressa excessiva, à pobreza" (21:8).  "Aquele que tem olhos invejosos, corre atrás das riquezas, mas não sabe que há de vir sobre ele a penúria." (28:22).  O desejo de ficar rico sem muito esforço leva muitos à especulação.  Historicamente, os efeitos coletivos numa sociedade são desastrosos.
Para o indivíduo há muitas formas de especulação: jogos de loteria, raspadinhas, a bolsa de valores, câmbios de moedas estrangeiras, a compra e venda de veículos, telefones, e imóveis, e aventuras "garantidas" em negócios duvidosos.  Poucas pessoas possuem a segurança financeira para poder se arriscar nestes negócios sem romper seu próprio bolso econômico.  O caminho sábio, conforme Provérbios, é mais conservador, e muito melhor para a economia: TRABALHAR E POUPAR!
            3.  Dívida.  O terceiro furo no saco orçamentar são as dívidas.  Qualquer empréstimo que comprometa as finanças do seu futuro leva à escravidão: "O rico domina sobre o pobre, e o que toma emprestado é servo do que empresta" (22:7).  A dívida é uma tesoura que rasga o saco financeiro.  A sociedade nos seduz para cairmos nesta armadilha: Cartões de crédito, cheques especiais, consórcios, pagamentos parcelados (com ou sem juros) e muitos outros.   Não que o uso destes constitui pecado.  O perigo é gastar agora o que se pretende ganhar amanhã.  E o saco rasga mais um pouco.
            Pior que a dívida pessoal em Provérbios, a fiança constitui uma espécie de dívida importada.  O fiador se compromete pela dívida de terceiros, como, por exemplo, na compra ou no aluguel de um apartamento ou carro, no início de um novo negócio que exige empréstimos, etc.  Provérbios diz "Não estejas entre os que se comprometem e ficam por fiadores de dívidas, pois se não tens com que pagar, por que arriscas perder a cama de debaixo de ti?" (22:26,27).
            4.  Desperdiçio.  Um outro "buraco negro" no orçamento é o desperdiçio--a falta de cuidado e mordomia dos bens.  Provérbios aconselha: "Procura conhecer o estado das tuas ovelhas, e cuida dos teus rebanhos, porque as riquezas não duram para sempre, nem a coroa de geração em geração" (27:23,24).  Em outras palavras, cuide do que tem, ou perdê-lo-á!  Em nossos dias talvez signifique consertar um cano furado antes que estrague a parede; apagar as luzes quando sai da sala; trocar o óleo e os filtros do motor do carro; escovar os dentes depois de cada refeição; manter sua saúde pelo exercício físico e sono; comer as sobras das refeições e não jogar fora; planejar bem as compras para uma viagem só; tomar banhos breves (mas eficientes!); usar o telefone fora do horário comercial; comparar os preços e evitar "grifes" caras; ficar de olhos abertos para liquidações e ofertas especiais.  O saco se rasga quando desperdiçamos o que Deus nos confiou, e quando tentamos viver acima dos nossos bens.
            5.  Egoismo.  Parece um paradoxo, mas Provérbios deixa claro que perdemos quando nos agarramos nos nossos bens, e ganhamos quando abrimos mão deles e contribuímos para outros.  Em primeiro lugar, reconhecemos que tudo o que temos vem da boa mão do SENHOR em nossas vidas (Pv. 3:5,6).  Por isso, honramos ao SENHOR com as primícias de toda a nossa renda (3:9,10).  O egoísta esquece da soberana atuação de Deus em suas finanças.  O pouco que ele tem cai pelos buracos.
            Em segundo lugar, o justo procura informar-se sobre as necessidades dos pobres ao seu redor, e faz tudo o que pode para socorrê-los.  "A quem dá liberalmente ainda se lhe acrescenta mais e mais, ao que retém mais do que é justo, ser-lhe-á em pura perda" (11:24).  O que dá ao pobre não terá falta, mas o que dele esconde os seus olhos será cumulado de maldições (28:27).  Egoismo põe um grande furo no saco!
Como que José e Valéria podem costurar seus "sacos" orçamentares?  Um grande passo seria estudar suas entradas e saídas durante os próximos 2 ou 3 meses para descobrir os buracos.  Depois terão condições de montar  orçamentos que refletem princípios bíblicos para as finanças.  Também não seria uma má idéia rever o seu saldo da conta corrente de vez em quando.  Até então, esperemos que o Banco 24 Horas ainda esteja funcionando.

Texto: Salmos 127: 1 e 2 “Se o SENHOR não edificar a casa, em vão trabalham os que a edificam; se o SENHOR não guardar a cidade, em vão vigia a sentinela. Inútil vos será levantar de madrugada, repousar tarde, comer o pão que penosamente granjeastes; aos seus amados ele o dá enquanto dormem.”
Pedra Viva, filho na fé!
A família, de modo geral, tem sido alvo de ênfase tanto do mundo secular quanto do mundo cristão e evangélico. Hoje, há uma preocupação com a deterioração da vida familiar. Existe uma estrutura para a família, dentro da vontade de Deus, revelada na Sua Palavra, que impede essa deterioração. A realidade é que, no nosso país em especial, muitas famílias têm se distanciado muito dos padrões divinos, levando a deterioração dos valores cristãos.
Olha o que diz a Palavra do Senhor:  Salmos 36: 1 – 3  “Há no coração do ímpio a voz da transgressão; não há temor de Deus diante de seus olhos. Porque a transgressão o lisonjeia a seus olhos e lhe diz que a sua iniqüidade não há de ser descoberta, nem detestada. As palavras de sua boca são malícia e dolo; abjurou o discernimento e a prática do bem.”
No coração da família ímpia há uma voz da transgressão porque não há temor de Deus diante de seus olhos. Onde não há temor de Deus, implicitamente, há transgressões dos padrões divinos.
Em função disso, nós vemos em nosso país uma verdadeira epidemia de separações, de divórcios, de gravidez na adolescência, perda da autoridade dos pais dentro dos lares, crimes sexuais hediondos, pais alcoólatras, ausência do pai e da mãe na educação dos filhos e a desestabilização da família.
Como Apóstolo e Profeta, e como conselheiro familiar, eu, a partir de agora, estarei buscando fundamentos fortes e consistentes, doses de verdades bíblicas, pois é disto que nós precisamos, para que, à luz da verdade bíblica e segundo a Sabedoria de Deus, construamos nossas famílias sobre a Rocha.
Jesus expôs os Seus projetos para a família seja feliz e bem sucedida.
Nós não podemos exigir de Deus  responsabilidades para a manutenção da felicidade da família, se nós não aplicarmos o plano que Ele tem para esta felicidade. Então, meus amados, filhinhos na fé, vamos examinar a vida de algumas famílias bíblicas e viver os seus exemplos positivos.
De acordo com o que lemos no Salmo 127, se Deus não for o Senhor da casa, se os planos da família não forem os do Senhor, em vão trabalham os que a edificam.
Não adianta tentar seguir o que o conselheiro secular diz. Não adianta tentar buscar na terapia de grupo, segundo os conceitos de Freud, para a família, se a Bíblia não for a base desses conselhos.
Nós, os cristãos, que valorizamos a família, temos que conhecer os princípios fundamentais de estabilidade familiar.
Desde o Velho Testamento, o Senhor havia estabelecido bases familiares para o povo de Israel.  Moisés, que foi o legislador do Antigo Pacto, mostrou aquilo que poderia solidificar a família e torná-la bem sucedia.
Daremos os primeiros quatro passos, visando o bem-estar da família.
Quais foram as áreas que Deus incumbiu Moisés de passar às famílias?
Número 1 – A vida em relação a Deus. Nós encontramos isto em: Deuteronômio 6: 1 – 5  “Estes, pois, são os mandamentos, os estatutos e os juízos que mandou o SENHOR, teu Deus, se te ensinassem, para que os cumprisses na terra a que passas para a possuir; para que temas ao SENHOR, teu Deus, e guardes todos os seus estatutos e mandamentos que eu te ordeno, tu, e teu filho, e o filho de teu filho, todos os dias da tua vida; e que teus dias sejam prolongados. Ouve, pois, ó Israel, e atenta em os cumprires, para que bem te suceda, e muito te multipliques na terra que mana leite e mel, como te disse o SENHOR, Deus de teus pais. Ouve, Israel, o SENHOR, nosso Deus, é o único SENHOR. Amarás, pois, o SENHOR, teu Deus, de todo o teu coração, de toda a tua alma e de toda a tua força.”
O versículo 5 passa a ser a regra de vida de uma família. Se isto não for a chave, a mola mestra, a alavanca da família, tudo será em vão. O AMOR DE TODO CORAÇÃO.
Este amor que Deus disse com que nós temos que amar, é expresso em alguns valores. Vamos ver o primeiro valor:
1. Toda pessoa que ama Deus com o coração, a alma e força, é uma pessoa temente a Deus. Provérbios  1: 7 “O  temor do SENHOR é o princípio do saber, mas os loucos desprezam a sabedoria e o ensino.”
Quando se ama Deus, dentro de uma família, há temor do Senhor.
2.      A família é sensível à Voz de Deus. Provérbios  1: 33 “Mas o que me der ouvidos habitará seguro, tranqüilo e sem temor do mal.” Dá tu ouvidos ao Senhor.
3.      A família que ama Deus, dentro do seu lar, com todo coração, sua força, sua alma, tem uma vida de obediência. Provérbios  2: 4 – 8  “se buscares a sabedoria como a prata e como a tesouros escondidos a procurares, então, entenderás o temor do SENHOR e acharás o conhecimento de Deus. Porque o SENHOR dá a sabedoria, e da sua boca vem a inteligência e o entendimento. Ele reserva a verdadeira sabedoria para os retos; é escudo para os que caminham na sinceridade, guarda as veredas do juízo e conserva o caminho dos seus santos.”
Estas três áreas são fundamentais. Temor a Deus, ouvido sensível para saber o que Deus está falando… e uma vida de obediência.
Este é o amor que precisa ser vivido e transmitido aos filhos e aos netos, com autenticidade. Lê novamente Deuteronômio  6: 5.
O perigo de não se ter esse amor no coração, e, como conseqüência, não tê-lo na família, é que vivemos num mundo conturbado, cheio de convites enganosos, dos quais, só o amor de Deus pode nos proteger. Vê o que disse Jesus. Mateus  10: 16 “Eis que eu vos envio como ovelhas para o meio de lobos; sede, portanto, prudentes como as serpentes e símplices como as pombas.”
Irmão, não adianta tentar ensinar os filhos, com maus exemplos. Deus quer que nós convençamos nossos filhos pela nossa honestidade, pela nossa palavra, pelo nosso amor, pelos nossos lábios puros.
Deuteronômio  6: 6  “Estas palavras que, hoje, te ordeno estarão no teu coração;” Esteja no teu coração a Palavra de Deus. Porque é do coração que procedem as nossas atitudes, o nosso comportamento, o nosso viver voltado para Deus.
Para mim, amar a Deus é levá-Lo a sério. É ser obediente à Sua Voz e à Palavra, é viver a Bíblia. E isto vai fazer com que os filhos amem o Senhor.
Deuteronômio  6: 7  “tu as inculcarás a teus filhos, e delas falarás assentado em tua casa, e andando pelo caminho, e ao deitar-te, e ao levantar-te.”Inculcar é “meter na cabeça”.
Provérbios  6: 20 – 23  “Filho meu, guarda o mandamento de teu pai e não deixes a instrução de tua mãe; ata-os perpetuamente ao teu coração, pendura-os ao pescoço. Quando caminhares, isso te guiará; quando te deitares, te guardará; quando acordares, falará contigo. Porque o mandamento é lâmpada, e a instrução, luz; e as repreensões da disciplina são o caminho da vida;”
O Senhor está dizendo à Igreja: “Vale a pena os pais inculcarem nos filhos, ao deitar, ao levantar, ao andar, em casa, à mesa… porque isto vai ser luz, vai ser lâmpada, instrução, disciplina, caminho da vida para os filhos. É preciso que a família saiba que toda a provisão vem do Senhor. Deve-se ter o hábito de dar graças a Deus pelo dinheiro, alimento, sustento e direção da família.
É preciso que a família cuide da sua relação com Deus. “Amarás, pois, o SENHOR, teu Deus, de todo o teu coração, de toda a tua alma e de toda a tua força.” É preciso compreender que a relação com a Palavra deve ser absoluta.
Em relação à Fonte da Provisão da Família, vejamos Deuteronômio  6: 10 – 13  “Havendo-te, pois, o SENHOR, teu Deus, introduzido na terra que, sob juramento, prometeu a teus pais, Abraão, Isaque e Jacó, te daria, grandes e boas cidades, que tu não edificaste; e casas cheias de tudo o que é bom, casas que não encheste; e poços abertos, que não abriste; vinhais e olivais, que não plantaste; e, quando comeres e te fartares, guarda-te, para que não esqueças o SENHOR, que te tirou da terra do Egito, da casa da servidão. O SENHOR, teu Deus, temerás, a ele servirás, e, pelo seu nome, jurarás.” Assim, diariamente, a família precisa estar em unidade.
Se tu te esqueceres de que foi Deus quem te deu tudo, isto te leva à indiferença. Só o temor do Senhor nos preserva desse erro. A Gratidão, irmão, é uma coisa muito linda. Sê fiel no pouco, mas, quando chegares no muito, continua sendo fiel.
Todas as famílias precisam de honrar a fonte de toda bênção – Senhor Jesus. Não tenha vergonha da tua esposa. Não tenha vergonha do teu marido, nem dos teus filhos, nem de teus pais. Fala de Deus, convence-os da Palavra.
Muito cuidado com o que se diz, às vezes, à mesa, ao lado dos filhos. Saibas que a desgraça da família, às vezes, começa em torno da mesa.
Deuteronômio  6: 20 – 25 “Quando teu filho, no futuro, te perguntar, dizendo: Que significam os testemunhos, e estatutos, e juízos que o SENHOR, nosso Deus, vos ordenou? Então, dirás a teu filho: Éramos servos de Faraó, no Egito; porém o SENHOR de lá nos tirou com poderosa mão. Aos nossos olhos fez o SENHOR sinais e maravilhas, grandes e terríveis, contra o Egito e contra Faraó e toda a sua casa; e dali nos tirou, para nos levar e nos dar a terra que sob juramento prometeu a nossos pais. O SENHOR nos ordenou cumpríssemos todos estes estatutos e temêssemos o SENHOR, nosso Deus, para o nosso perpétuo bem, para nos guardar em vida, como tem feito até hoje. Será por nós justiça, quando tivermos cuidado de cumprir todos estes mandamentos perante o SENHOR, nosso Deus, como nos tem ordenado.”
Quando teu filho te perguntar: “Papai, por que o senhor é crente, dizimista e canta na igreja?” Tu tens a oportunidade de mostrar ao teu filho, a tua esposa ou ao teu marido qual a razão da tua vida. Então tu precisas de ter um testemunho. Nós estávamos no Egito, perdidos. É preciso que a família viva por Fé.
Romanos  1: 17  “visto que a justiça de Deus se revela no evangelho, de fé em fé, como está escrito: O justo viverá por fé.”Dize a toda a tua família, vizinhança, conhecidos que foi Deus quem te tirou do pecado e te assentou em lugares celestiais. Não tenhas vergonha do Evangelho. ELE É O PODER DE DEUS PARA A SALVAÇÃO! Dá bom testemunho sobre a Bondade, sobre o Amor de Deus, a Fidelidade do Senhor!
Eu termino, amado do Senhor, com Provérbios 18: 10  “Torre forte é o nome do SENHOR, à qual o justo se acolhe e está seguro.”
A Torre Forte, o Senhor, está pedindo que a Igreja O ame de todo o coração, que não falte aos cultos, que não deixe de congregar, que não deixe de dizimar, que não deixe de amar, que não deixe de ser fiel à esposa, ao marido, não deixe de ser fiel aos princípios bíblicos. Tu estás seguro. Meu amado, Ele é o único Senhor, é Fiel a todos nós, nos momentos difíceis, nos fracassos, nas vitórias, nos momentos de aparentes derrotas, ou nos de sucesso pessoal.
Eu te garanto e te dou testemunho da minha própria vida., Estou acolhido a este Deus, envolvido com Ele há mais de 25 anos. E estou absolutamente seguro de que nada pode falhar!
Homem de Deus! Mulher de Deus! AMA A DEUS COM TODO O TEU CORAÇÃO, COM A TUA ALMA, COM A TUA FORÇA!
Se tu fizeres isto, então, a tua casa e a tua família estarão sendo edificadas por Deus. Nada será em vão. Tudo será frutífero – BEM SUCEDIDO! Assim seja, assim disse o Senhor.
Teu apóstolo, irmão e amigo, Miguel Ângelo
Mais ZoomMenos Zoom